segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

Diga não à vacina H1N1! Os pais devem se informar.


 

CDC - H1N1 - documentos sobre quarentena forçada

A noite passada Zero Hedge obtidos alguns documentos interessantes no site do CDC. Eles contêm ordens em branco "quarentena forçada" de Iowa e na Flórida H1N1 novela a respeito - incluindo a quarentena para uma "center' regime fechado - o que parece ser recente - datado de Abril de 2009.

Alguns podem estar conscientes do NIH e CDC apenas procedeu a uma conferência de H1N1 em DC - 19-21 agosto de 2009 - que incidiu sobre «Gestão de mortalidade em massa '. Para muitos, isso deve ser motivo de preocupação. Como é evidente, o nosso governo é muito corrupto.

A idéia de que este mesmo governo se prepara agora para a vacinação forçada de quarentena e de massa deve fazer qualquer um que tem acompanhado os recentes acontecimentos tremer.

Há algo acontecendo aqui, mas os governos não vêm limpar o assunto com o público. Por que "os centros de detenção seguro 'em os E.U. e' centros de vacinação segura 'na França se não há nada para se preocupar?

É cada vez mais claro que uma campanha global de vacinação em massa é planejado - probabilidade de se tornarem obrigatórias no 193 países membros da OMS, apesar das preocupações de segurança graves quanto estas vacinas H1N1 não testadas, algumas das quais são conhecidos por conterem níveis elevados do mortal esqualeno adjuvante.

Outros podem estar cientes de que só na semana passada que o estado de Massachusetts Senado aprovou uma lei tornando crime relativamente grave para recusa da vacinação obrigatória ou a quebra de uma ordem de quarentena. Esta lei inclui também as violações bastante surpreendente da Emenda 4, incluindo buscas e apreensões sem mandado de propriedade, se considerar necessário para uma "emergência". Esta nova lei de Massachusetts também incluídas as autorizações para detenção ilegal sem um mandato e de vacinação forçada do público. Mas a atividade política não é limitado aos estados. Ontem Obama manteve reuniões com altos funcionários do gabinete quanto prepardness pandemia de H1N1 ", incluindo a secretária Sebelius. Portanto, esta especulação não é ocioso. Há algo acontecendo aqui. Ou o governo sabe algo que nós não, ou esta é a maior campanha publicitária desde a bolha ponto com.

Embora o vírus H1N1 em curso não tenha genes letais, temos sido implicitamente prometido pelas autoridades de saúde nacionais e globais que H1N1 a uma novela que em breve retorna com essa genética de "upgrades", tal como aconteceu em 1918. Aqui no ZeroHedge, estamos esperando um bando de cisnes negros económica em breve, e uma pandemia - real ou sensacionalistas - pode ser parte deste rebanho.

Um colapso econômico será sem dúvida, ser acionado em breve, e será conveniente para as elites políticas a culpa do colapso de um fator externo, como uma pandemia ou uma guerra. Além disso, a queda pandemia de H1N1 pode ser um pretexto conveniente, através da qual os níveis perigosos para ampliar o controle social pode ser estabelecida pelas elites que se revelaram totalmente corruptas e moralmente falidas.

.http://ukraineplague.blogspot.com/

FL Quarentena de Detenção Ordem 09 de abril 252
http://www.scribd.com/doc/19348310/FL-Quarantine-to-Detention-Facility-Order-Ap
DAQUI

    quinta-feira, 29 de outubro de 2009

    Gripe Suína: As vacinas são mais mortais que a própria “gripe suína”?

    Blog A Nova Ordem Mundial
    A medida que os governos europeus avançam seus programas de vacinação em massa contra a gripe suína, notícias vindo da Hungria e da Suécia sugerem que algumas pessoas tenham morrido logo depois de tomarem a vacina contra o H1N1.

    O jornal Times of Budapest relatou que uma mulher de 64 morreu apenas dois dias após receber a vacina contra o H1N1.

    Uma autópsia foi agendada para determinar se existe uma ligação entre a vacina ea morte do paciente, que sofria de doença cardíaca crônica, mas branda, de acordo com o artigo.

    Até agora, apenas 4 pessoas morreram de gripe suína na Hungria.

    A vacina contra o H1N1 na Hungria está sendo fornecida pela fabricante local de vacinas Omninvest. O governo encomendou seis milhões de doses que supririam cerca de 60% dos 10 milhões de habitantes da Hungria.

    Suécia: Homem Morre 12 horas

    Enquanto isso a agência sueca de medicamento está investigando a morte de um homem que ocorreu apenas doze horas após receber a vacina contra o vírus da gripe A (H1N1), apesar de até agora não ter sido estabelecida uma relação causa-efeito.

    Num primeiro relatório publicado no seu site na Internet sobre as reações adversas da vacina Pandemrix (GSK) registadas na Suécia, a agência do medicamento refere cerca de 100 casos, dos quais seis avaliados como graves, um dos quais resultou numa morte.

    O homem padecia de aterosclerose grave, o que lhe provocava sérios problemas no funcionamento dos órgãos. A vítima sofreu uma dor de peito antes de morrer.

    Em portugal, a subdiretora-geral da Saúde disse ainda que "não há qualquer evidência científica sobre os possíveis efeitos negativos da vacina contra a gripe A. Mas já há alguma evidência científica sobre a segurança da vacina".

    ----------------------

    Não há evidências científicas? Talvez para aqueles usam se utilizam da pseudo-ciência para avançar com suas agendas. Ou talvez não saibam da relação da vacina com a síndrome de Guillain-Barre (GBS), que em 1974 matou e deixou com seqüelas centenas de pessoas. Ou dos efeitos negativos do esqualeno, cujo uso na vacina contra o Anthrax comprovadamente causou a sindrome da guerra do golfo, ou ainda do perigoso uso do mercúrio como preservativo, que é associado com o autismo e vários outros problemas neurológicos.
    Antes de se precipitar e ir atrás da mídia, que de forma histérica sugere que a vacina é a única solução para o que dizem ser um "cataclisma de proporcoes globais", faça sua própria pesquisa e tome uma decisão informada.

    As autoridades de saúde de Portugal tentam em vão defender que a vacina não teve relação alguma com as mortes e de que é segura e eficiente, e que estas mortes foram apenas uma coincidência. Parecem estar seguindo o mesmo padrão de desinformacao que vimos desde semanas atrás: autoridades americanas afirmando que haverão mortes após a vacinação, mas que nao seriam diretamente ligadas a vacina, para tentar evitar qualquer associação óbvia no futuro. Na Inglaterra, onde semanas atrás uma garota morreu depois de receber uma vacina contra o HPV (que poderia causar o câncer de colo de útero), "exames" suspeitíssimos mostraram que a garota, que se apresentava saudável, teria um tumor gravíssimo, que teria causado a sua morte súbita.

    Engraçado também como quando alguém por causa da gripe suína com um problema de saúde pré-existente, é registrado como causa da morte a gripe suína, e ponto final. Mas se alguém com um problema de saúde pré-existente morre depois de tomar a vacina então é registrado como causa o problema de saúde pré-existente e não a vacina.

    Fontes:
    Times of Budapest: New treatment in flu vaccine controversy

    The Flu Case: FOURTH VACCINE DEATH REPORTED IN SWEDEN

    Notícias relacionadas :

    Vacinas : um tema controverso II

    Este texto foi escrito pela Juty Chen, tem muita informação interessante e ela autorizou a publicação aqui. Aproveitem…
    “Desmistificando as vacinas uma por uma:
    1o. Mês: BCG
    O próprio de Lamare explicita: “a BCG não evita a tuberculose. Se a criança apesar de vacinada estiver em contato mais ou menos constante com pessoa contagiante, pode apanhar a doença. Entretanto, a criança vacinada pelo BCG se defenderá muito melhor do que a não-vacinada; a vacina evitará que a tuberculose adquira formas graves, etc..”
    Depois você procura entender como é adquirido tuberculose por um bebê:
    “A infecção decorre, geralmente, da convivência prolongada e íntima que caracteriza a vida em família… o contágio, direto ou indireto, constitui importante método de transmissão.. A introdução do bacilo da tuberculose no corpo humano, não é, invariavelmente, seguida do desenvolvimento da doença… A incidência maior entre as raças negra e mestiça está ligada a fatores socioeconônicos, como precariedade de sistemas sanitários…. Cidades com superpopulação, com poucos lugares ao ar livre e com sol, subnutrição e moradias inadequadas deverão ser os fatores responsáveis.
    Recentemente, o filho de uma amiga minha, que é jornalista da Folha de SP, pegou tuberculose, através do sistema de ar-condicionado no prédio onde trabalha, mesmo tendo sido vacinado quando criança.
    Se você tem uma pessoa tuberculosa na família, é obrigada a conviver com ela e seu bebê, num cubículo diminuto de uma favela, com poucos lugares ao sol, não tem um sistema de esgoto e vive sob o espectro da desnutrição, recomendo que você dê a vacina ao seu bebê. Porque o Estado não é capaz de te dar saneamento básico. Mas uma ampola de vacina, ele é capaz de te pagar, para você continuar vivendo na favela, e ainda faz propaganda de que protege a infância.
    Deveria se chamar vacina-para-países-sem-planejamento-urbano.
    Consultei o calendário de vacinação de um livro de pediatria britânico da década de 90. (The Great Ormond Street Boof of Baby and Child Care). A BCG era recomendada para ser tomada durante a infância ou entre 10 e 14 anos, e não para ser aplicada em bebês com menos de 1 mês.
    Eu fiquei curiosa e pedi para minha irmã me trazer da Bélgica, o calendário de vacinação de crianças de um país super-desenvolvido. Afinal, Bélgica é a Bélgica. Ela me trouxe o calendário de 2004 e … não tem BGC! Na Alemanha, fiquei sabendo depois por uma mãe, a BCG também não está no calendário.
    1o. Mês: Hepatite B
    A hepatite B é transmitida através de relação sexual e contato com plasma sanguíneo. Contato por transfusão é difícil, pois os bancos de sangue são controlados. Geralmente profissionais de saúde precisam tomar esta vacina.
    Agora o estilo de vida que nossos filhos precisam ter para contrair hepatite B durante a adolescência: praticar sexo inseguro (sem camisinha) com um ou mais parceiros, uso de drogas injetáveis, compartilhando seringas usadas.
    Você concorda que se seu filho tiver esse estilo de vida, hepatite B vai ser o menor dos problemas? Antes vem gravidez indesejada, doenças sexualmente transmissíveis e temporadas em clínicas de dependentes químicos.
    Até o 6º mês, o bebê não produz anticorpos, a vacina proporciona uma imunidade transitória, portanto são necessárias doses de reforço de 2 em 2 meses. Até o 6o. mês, o bebê irá tomar, de acordo com o calendário brasileiro, 3 vezes a Sabin (pólio), 3 vezes a tríplice bacteriana (DPT) e 3 vezes a anti-hemophilus. O maior paradoxo é que se você ler todas as doenças que eu explicar aqui, verá que até os 6 meses, no seu caso e no meu, que vivemos em boas condições “sócio-econômicas”, as vacinas não tem o menor sentido.
    Se você não se sentir seguro para deixar de vacinar seu filho, pelo menos adie até que seu sistema imunológico esteja maduro. No mínimo economizará umas 4 picadas de injeção.
    E sobre Hepatite B, tem esse trecho retirado do livro “Poisoning of Generations” de Mark Sircus (um dos colaboradores da Vacina Veritas):
    “Aproximadamente 50% dos pacientes que contraem a hepatite B têm baixo crescimento viral e uma resposta muito rápida do sistema imunológico, portanto não desenvolvem nenhum sintoma, derrotam o vírus e ganham imunidade por toda a vida. Outros 30% têm sintomas de uma gripe, neste caso também a hepatite passa não diagnosticada, elas derrotam o vírus e desenvolvem imunidade por toda a vida. Aproximadamente 20% dos pacientes têm um crescimento viral maior e uma resposta lenta do sistema imunológico, portanto ficam doente o bastante para serem diagnosticados como sofrendo de hapatite B. A grande maioria derrota o vírus e adquire imunidade por toda a vida. Raramente (<5% das pessoas) se tornam portadores crônicos do vírus.
    Em torno de dois décimos de 1% ficam doentes, não derrotam o vírus, e morrem por terem desenvolvido complicações no fígado. Estas poucas mortes podem ser atribuídas a fatores outros do que a voracidade do vírus, visto que a maioria é capaz de gerenciar a doença muito bem, sem intervenção, dependendo das defesas de um sistema imunológico saudável. A voracidade do vírus é constante; é a relativa força ou fraqueza do hospedeiro a variável mais importante?”
    2o. Mês: Pólio
    Poliomielite. A transmissão ocorre via ingestão de fezes de outra criança com poliomelite. Um espanto. Geralmente ocorre em locais com saneamento precário. Você adivinhou: água. E as moscas pousando sobre a comida podem veicular essa doença também.
    Agora imagina um lugar em que moscas pousam sobre o cocô de uma criança e vêm depois pousar na comida de seu filho.
    Deveria se chamar vacina-para-países-sem-saneamento-básico.
    Minha bebê até os 6 meses só mamava no peito, então ela estava fora do risco de contrair pólio (Era completamente desnecessário dar 3 vezes a Sabin neste período). E mesmo que não mamasse, que mãe seria tão relapsa para dar comida de boteco a um bebê?
    Agora que começou com papinha, sou eu quem prepara a comida dela e com bastante cuidado para não pousar nenhum inseto. Moramos num local com condições sanitárias boas. Foi a única vacina que deixei o Sérgio (meu ex-marido) aplicar, porque ele estava quase surtando. Para mim virou vacina-para-parar-de-quebrar-o-pau-com-o-Sérgio, pois não conseguia convencê-lo de maneira alguma a viver sem vacinas.
    Rezei para ela não pegar pólio com a própria vacina, pois desde que a poliomielite selvagem foi erradicada no Brasil há 10 anos atrás, os únicos casos de contaminação foram crianças que tomaram a vacina (contêm o vírus enfraquecido, mas vivo).
    Existe a Salk que vem com o vírus inativo, mas aqui no Brasil, os laboratórios só importam a Salk combinada na penta (Salk + DPT + Hemophilus). Não existe a vacina isolada, porque não há interesse comercial de importação, bem entendido.
    E olhe o que você leva de brinde.
    2o. Mês: Difteria (D)
    É uma doença contagiosa que forma placas brancas ou cinzentas na garganta e podem levar à sufocação. Começa com uma febre e a criança inapetente. É mais freqüente em lugares de clima frio (como moramos em um país tropical, e com o aquecimento global….). As placas se formam na garganta, úvula, céu-da-boca, etc.. Mães tranqüilas conseguem observar a boca do filho e avisar o médico. Mães nervosas e pediatras idem já ministram antibióticos sem parar para perguntar.
    Pode matar. Tem cura, se diagnosticada desde cedo.
    Antibióticos podem mascarar o diagnóstico, pois a cultura do material recolhido, pode demorar de 5 a 7 dias para se mostrar positiva. É muito importante que o diagnóstico seja feito nas primeiras 48 horas, pois o soro anti-diftérico é mais eficiente neste período. Aqui entra a importância do diagnóstico clínico (aquele feito no olho, por pediatras experientes, coisa em falta ultimamente).
    Podemos chamá-la de vacina-contra-médico-ruim-que-diagnostica-antibiótico-para-qualquer-febre.
    Melhor do que melhorar a qualidade dos pediatras, dá-lhe vacina em todas as crianças.
    Essa vacina tem validade de 10 anos. Isso quer dizer que eu estou há mais de 20 ou 30 anos sem imunização. Corro o mesmo risco da minha filha, de pegar difteria.
    2o. Mês: Coqueluche (P-ertussis)
    Coqueluche não mata, o que mata são as complicações decorrentes quando não tratada. É uma gripe com tosse muito forte. Típico de países frios. Tanto a coqueluche quanto a difteria eram comuns em na Europa e nos EUA, no início do século passado. O contágio, como a gripe, se dá com o convívio em ambientes fechados. Como moramos num país tropical… importamos tudo dos países frios… desde ternos que são usados no verão, até vacinas contra doenças que são comuns no frio. Alguém me disse que o melhor vendedor do mundo é aquele que vende geladeira para o esquimó. A indústria farmacêutica é então, a melhor vendedora do mundo.
    Esta é a vacina que mais causa reações nos recém-nascidos. Desde inflamações, até febres. Existe uma versão acelular, segundo se apregoa, causa menos efeitos colaterais.
    Dizem que a não-vacinação privilegia crianças mais abastadas, pois estas têm acesso mais rápido a tratamentos médicos. Então esta deveria se chamar vacina-para-países-que-não-dão-assistência-médica-para-os-pobres.
    2o. Mês: Tétano (T)
    Vacina contra tétano. Os bacilos do tétano vivem no cocô de cavalo. Antigamente, quando os cavalos puxavam charrete pela cidade e tinha cocô de cavalo para todo lado, as crianças que brincavam na rua e se machucavam com cortes perfurantes, tinham uma grande probabilidade de contrair tétano. Costumavam-se adubar jardins com cocô de cavalo. Justo o lugar onde crianças costumam brincar.
    E tétano mata.
    A vacina contra tétano tem validade de 10 anos.
    Em 2004, minha mãe conheceu um menino de 12 anos, que sofreu um corte perfurante, contraiu tétano e morreu. Provavelmente esse menino foi imunizado quando criança. Ironia das ironias. Pegou tétano quando a vacina expirou. Outra ironia: o pai é médico. O menino mostrou o corte, o pai achou que não era nada e quando foram socorrer, era tarde demais.
    Essa deveria se chamar vacina-para-pais-que-não-prestam-atenção-nos-filhos.
    Detalhe, existe uma profilaxia contra o tétano após ferimentos e a doença pode ser tratada logo no início com soro anti-tetânico. Ela tem cura.
    Qual foi a última vez que você tomou uma vacina contra tétano? Eu, pelo que me lembre, há mais de 20 anos. Estou vivendo há 20 anos sem proteção nenhuma contra o tétano. E continuo vivendo.
    Dar esta vacina para um bebê que nem consegue se virar? Ainda repetir 2 vezes até completar 6 meses? Pense no seu bebê com 6 meses. Sequer consegue sentar. Uma pergunta que eu faço: Porque dar vacina aos bebês tão cedo?
    2o. Mês: Anti-hemophilus
    Um tipo de gripe. Epidemias são comuns em bebês que ficam em creches. Não mata, é tratável.
    Deveria se chamar vacina-para-pais-que-deixam-filhos-em-creches.
    3o. Mês: 2a. dose da Hepatite B
    4o. Mês: 2a. dose da Sabin, da DPT (Difteria, Pertussis, Tétano) e da Anti-hemophilus
    6o. Mês: 3a. dose da Sabin, da DPT (Difteria, Pertussis, Tétano) e da Anti-hemophilus
    7o. Mês: 3a. dose da Hepatite B
    9o. Mês: Sarampo
    Vacina contra sarampo. Pode matar…crianças desnutridas. Outra vacina para país subdesenvolvido. Sarampo é tratável. É uma típica doença infantil, pois só se pega uma vez na vida. Nos países de clima quente, o sarampo é geralmente benigno (amo viver num país tropical)
    Deveria se chamar vacina-para-países-que-não-conseguem-garantir-uma-infância-nutrida.
    12o. Mês: Catapora
    Outra típica doença infantil, também se pega uma vez na vida. Pode trazer complicações se adquirida na idade adulta, ou seja, assumir formas mais graves. Não mata, é tratável.
    Uma leve febre. Formam-se vesículas pelo corpo que se rompem, formando crostas. As crostas (casquinhas pretas) se desprendem depois de 15 a 20 dias. A catapora provoca prurido. Algumas pessoas confundem com urticária ou alergia. Só que alergias não provocam febre.
    Detalhe, meninas que pegaram catapora transmitem a imunidade para a prole, através do leite materno. Meninas vacinadas, não.
    15o. Mês: Rubéola
    Idem à catapora. Típica doença infantil, pega-se uma vez e imuniza para o resto da vida. Não mata, é tratável. É bom para meninas.
    Uma gestante que contraia rubéola nos 3 primeiros meses de gestação, pode afetar gravemente seu feto. Mas a rubéola no final da gravidez não tem efeitos maiores. De qualquer forma, isso poderia ser evitado com um pré-natal cuidadoso. Se a mulher pretende engravidar e não teve rubéola, pode-se tomar a vacina. É a única implicação.
    Deveria se chamar vacina-para-falta-de-planejamento-familiar.
    15o. Mês: Caxumba
    É um vírus que provoca parotidite, ou seja comprometimento das glândulas salivares, comumente designado pelo povo como “papeira”.
    Tratável, típica doença de infância, são raros os segundos ataques. Não mata, requer apenas repouso e dietas à base de sopas.
    15o. Mês: 2a. dose de Sarampo
    16o. ao 18o Mês: 4a. dose da Sabin, da DPT (Difteria, Pertussis, Tétano)
    Algumas vacinas estão fora do calendário oficial, mas são boas para as clínicas de vacinação particulares fazerem um terrorismo nos pais.
    Meningite
    É uma vacina que é indicada para períodos de epidemia, tendo em vista seu breve período de imunização. As vacinas disponíveis são para a meningite tipo A e C. Geralmente as epidemias são causadas pelo tipo B. Só existe uma vacina produzida em Cuba que imuniza contra o tipo B, e a experiência mundial sobre ela é muito pequena (Em outras palavras, não foi aprovada pelo FDA. O que não é bom para os Estados Unidos, não é bom para o mundo).
    Tenho uma amiga que vacinou o filho, porque tinha um conhecido que faleceu na idade adulta de meningite. Apesar de tecnicamente, a vacina não ter mais efeito em seu filho hoje, o psicológico dela está ótimo. Ela está crente que o filho dela está protegido contra meningite.
    Deveria se chamar vacina-para-pais-pouco-informados-sobre-meningite.
    Rotavírus
    Uma doencinha chata. Tem cura é tratável. Pode causar diarréias que são perigosas para as criancinhas. Não tratada, a diarréia (não o rotavírus) pode matar. Índice nos EUA de mortalidade para crianças com rotavírus com rápido acesso a instituições de saúde: zero. Índice de mortalidade das crianças vacinadas pela primeira geração de vacina contra rotavírus: 1 para cada 30.000 por um efeito colateral chamado intussuscepção. Estou enviando a seguir, um histórico do desenvolvimento da vacina contra rotavírus para você avaliar as contradições e a força da indústrica farmacêutica para colocar uma nova vacina no mercado, especialmente para inserí-la no calendário de vacinação de países do terceiro mundo.
    Como no Brasil se tornou uma vacina opcional, olha o argumento usado para comercializar essa vacina para pais de classe média e alta, justamente os que tem mais acesso a instituições de saúde e que não precisariam dela: os pais não precisam perder noites, nem dias de trabalho, em prontos-socorros, com os filhos.
    Deveria se chamar vacina-para-pais-trabalham-demais-e-não-tem-tempo-para-seus-filhos, e se pais pensam nesse argumento para vacinar seus filhos contra rotavírus, deveria se chamar vacina-para-pais-que-não-mereciam-ter-tido-filhos.
    Gripe
    Vacina contra gripe. Eu tenho uma experiência pessoal pois eu tomei essa maldita vacina.
    Eu estava há 3 anos sem pegar um resfriado sequer. Resolvemos vacinar todo mundo na empresa, porque quando essa vacina apareceu, era novidade e todo mundo queria experimentar. Imagina reduzir significativamente as faltas dos funcionários por motivos de doença. A idéia era sedutora.
    Depois que eu tomei, fique pegando uma gripe depois de outra nos 2 anos subsequentes. Além disso, a vacina tinha uma contra-indicação para pessoas que eram alérgicas a clara de ovo (deve ter albumina). Resumo, peguei uma alergia, fui fazer um exame de sangue, para minha surpresa era alergia a clara de ovo!!! Coisa que nunca tinha tido antes. Um espanto.
    Dar para minha filha, nem pensar.
    Resumo das Vacinas
    * Você achou alguma vacina útil para seu estilo de vida?
    * Nem todas as vacinas garantem 100% de imunização. Crianças que chegaram a ser vacinadas contra catapora, coqueluche, podem pegar estas doenças do mesmo jeito.
    * Os estudos sobre as vacinas desconsideram os efeitos colaterais. Estudam os efeitos por apenas um tempo após a aplicação. Desconsideram os demais efeitos ou os consideram irrelevantes. No caso da gripe, eu desenvolvi alergia à clara de ovo, 6 meses depois da vacina!! Para mim, isso foi relevante.
    * Tomei um antibiótico (Tequin) por 10 dias e desenvolvi uma alergia com mialgia (dor por todo o corpo) após 12 dias, 2 dias depois de parar com o antibiótico. O médico disse que era impossível ter sido causada pelo antibiótico. Eu li depois na bula, que o Tequin atacava as cartilagens. Exatamente as dores que eu sentia pelo corpo e em todas as articulações. Para mim, isso foi relevante!.
    * Um fato sobre vacinas: seus efeitos colaterais são seguramente reportados pelos pediatras como doenças diferentes.
    * Outro fato sobre vacinas: não existem estudos com grupos de controle! Isso é um espanto. Não existe um estudo conduzido com grupos de crianças vacinadas e não-vacinadas, uma vez que é considerado direito de toda criança ser vacinada. Para mim, essa é a irregularidade mais gritante, pois não existe base científica para se formular estudos comparativos. Por isso que, de ambos os lados, pró-vacinação e contra-vacinação, o que existem são estatísticas facilmente manipuladas ao sabor da opinião e conjecturas. Por exemplo:
    * Os grupos americanos que defendem a não-vacinação buscam correlação das vacinas com o aumento de autismo com o mercúrio contido nas mesmas. Para isso, possuem apenas estatísticas como o aumento da curva de autismo muito superior ao esperado (pelo aumento vegetativo da população), coincidindo nos últimos 20 anos com o aumento da quantidade de vacinas do calendário obrigatório. O lobby destes grupos forçou o Congresso americano a retirar o mercúrio das vacinas. No Brasil, como o mercúrio (timerosal ) é utilizado como conservante, a sua retirada aumentaria os custos pois obrigaria cada dose a ser embalada individualmente. As vacinas (antitetânica, DT, hep B e DPT) produzidas pelo Instituto Butantã contém 200 microgramas de Timerosal, o que significa 100 microgramas de mercúrio: 4 vezes a mais que as vacinas americanas (25 microgramas). Essa pequena quantidade nas vacinas americanas já causou um movimento imenso na sociedade para sua retirada.
    Enquanto que aqui no Brasil, continuamos a envenenar nossas crianças. Essa quantidade de mercúrio já é suficiente para poluir 20 litros de água, tornando-a imprópria para consumo, de acordo com a EPA (Environment Protection Agency). Quantos litros de sangue tem um bebê?
    Debaixo desse raciocínio é que a OMS calcula ser melhor continuar com o timerosal nas vacinas do que aumentar os riscos de faltar vacinas no terceiro mundo, por aumento de custos de fabricação. O raciocínio das políticas de saúde são baseados em estatísticas populacionais e não em indivíduos. Dentro desse raciocínio, casualidades são apenas números.
    Desculpe, minha filha não é mais um número nas estatísticas. Para mim, ela é unica. Se cada um defende seus interesses, eu preciso defender os meus.
    Os mesmos grupos observaram a queda dos índices da síndrome de morte súbita nos bebês de até 6 meses, quando o Japão decidiu atrasar a idade mínima para início das vacinações.
    Os pais têm o direito de ler a bula das vacinas e discutir exaustivamente com os profissionais de saúde sobre uso e implicações das mesmas.
    Na dúvida, use o bom-senso. Eu baseei minha argumentação em estilo de vida. Fora estas 14 doenças acima para as quais existem vacinas, existem outras centenas para as quais não há vacinas. Angustiar-se pelas doenças que seu filho pode pegar ou não, é passatempo para pais hipocondríacos.” Juty
    Gostaria de agradecer a Juty e dizer novamente que essa decisão de vacinar u não é uma decisão muito difícil e que deve ser tomada baseada em informação confiável.Setembro 6, 2008 por Vir Brandi

    sábado, 24 de outubro de 2009

    Para a Gripe A, vacina contra a gripe...das aves!

    Está com medo do novo surto gripal que nos anunciam? Costuma seguir os dados diários de casos e vitimas da gripe A, como quem segue o boletim meteorológico?


    Não tenha medo, vacine-se. Fique sabendo que existem no mercado, devidadamente autorizadas, três vacinas recomendadas para combater a gripe...das aves!


    No último mês de julho 2009, a EMEA (a Agência Europeia do Medicamento) autorizou a colocação no mercado de uma vacina, chamada puerilmente de "pré-pandémica", Pandemrix, do laboratório farmacêutico GlaxoSmithKline.

    Esta é composta pelo virus inactivado H5N1 (da gripe das aves!) e adjuvantes (não especificados!).


    Já tinham sido autorizadas as vacinas Daronrix também da GSK e oFocetria da Novartis, todas elas com os virus inactivos da gripe H5N1, A/Vietnam/1194/2004 NIBRG-14 .


    Todos os especialistas estão de acordo para referir que o principal problema da gripe A, seria a sua possível mutação e por consequência uma maior mortalidade.


    Não deixa de ser curioso as pessoas poderem ser injectadas com uma vacina à partida concebida para combater a gripe aviária.


    A explicação da EMEA, é que esta vacina induz uma resposta imunitária inespecifica e que portanto poderá ser util no combate a uma pandemia que comporta númerosas incógnitas.


    A Pandemrix foi testada em apenas 400 pessoas. A EMEA chama a atenção para alguns efeitos secundários e para a necessidade de grande vigilância após a vacinação. Após a vacinação !


    Na realidade o que aconteceu foi que com a o medo criado com a gripe das aves, que não chegou a pandemia, os principais produtores de vacinas tinham-se preparado para uma vacinação em massa.


    O grande stock existente tinha de ter alguama utilidade comercial...





    Convém lembrar que a gripe das aves tem uma mortalidade superior a 60%, enquanto que a gripe A, actual, menos de 1%, muito inferior aliás à gripe sezonal.





    A comercialização destas vacinas deveria ser proibidada, dado o potêncial perigo mutagénico da gripe A, sem falar dos efeitos secundários.





    Mais uma vez se demonstra, que organismos em que todos nós confiamos, por serem aparentemente idónios, estão subjugados aos interesses comerciais da industria farmacêutica, pondo em risco a saúde pública.




    http://www.emea.europa.eu/humandocs/PDFs/EPAR/pandemrix/H-832-fr1.pdf


    http://grippeaviaire.veille.inist.fr/spip.php?breve440

    Gripe A: recusa da vacina = crime ?

    Nos Estados Unidos, o Patriot Act, permite a vacinação obrigatória, caso o governo assim decida. A sua recusa é considerada um crime de desobediência civil, punível com pena de prisão.

    Temos de estar bastante atentos, apesar de em Portugal, isso não poder ser ainda aplicável, as declarações recentes da ministra da Saúde, indiciam estar em preparação o terreno para que isso se torne possível.






    Crime de desobediência civil em Portugal:




    Actualmente, a constituição portuguesa é bem clara: "ninguém pode ser tratado contra a sua vontade" (artigo 27.o da Constituição).


    No entanto o artigo 283.o do Código Penal determina que "quem propague uma doença contagiosa e crie perigo para outrem pode ser punido com uma pena de prisão que pode chegar aos oito anos, caso haja intenção, ou aos cinco, se for considerada apenas negligência".


    Logo, "Uma pessoa que voluntariamente espalhe uma doença pode ser punida" com penas de prisão. E a expressão "voluntariamente engloba as pessoas que recusam fazer os tratamentos recomendados", como refere o juiz desembargador Eurico Reis.


    E acrescenta que "a possibilidade de um portador de gripe A ser incluído neste grupo, é suficiente que uma pessoa ponha em perigo a saúde e a vida dos outros".




    Estará Ana Jorge a preparar alterações à lei?



    A ministra da Saúde, Ana Jorge, veio esta semana alertar para ao "civismo dos portugueses", e para a necessidade de isolamento, de forma a evitar a propagação do vírus da gripe A, visto tratar-se de uma situação "susceptível de pôr em risco a saúde de terceiros" e que "os incumpridores poderão ser responsabilizados pelo crime de transmissão de doença contagiosa."


    Trata-se de um primeiro passo para inculcar o sentimento de culpa com vista a uma possível vacinação em massa obrigatória.


    Claro que será necessária uma alteração à constituição, mas perante a urgência, essa alteração pederá muito bem ser feita através de um Decreto-Lei.


    Vários países europeus, como a França e a Espanha, estão a estudar leis que permitam a vacinação obrigatória.


    Nos Estados Unidos essa lei já existe (Patriot Act), sendo que a recusa da vacina poderá ser considerada um crime de desobediência civil, punível com pena de prisão.




    Pandemia e dúvidas...




    Estamos, perante uma pandemia conveniente. Esta vêm reforçar os poderes de uma entidade supranacional, a OMS, e é a galinha dos ovos de ouro de meia dúzia de laboratórios farmacêuticos.



    A gripe A, desde o início apresenta contornos no minimo duvidosos.



    O virus é um estranho misto de gripe sazonal, gripe suína e gripe das aves. A sua propagação não se fez por contiguidade, mas sim na forma de uma explosão simultânea de vários focos mundiais, em países distantes uns dos outros vários milhares de quilómetros. O grupo populacional atingido é no minimo curioso, em vez dos idosos, desta vez são as crianças e as grávidas. Por fim, é a pandemia menos mortifera da história, com uma taxa de mortalidade abaixo de 1 %.




    Vacina e dúvidas...






    São legitimas as duvidas quanto à eficácia e sobretudo aos efeitos secundários de uma vacina para a gripe A.


    Esta vacina foi fabricada em tempo recorde, anunciada inicialmente para fevereiro, depois para janeiro, finalmente estará no mercado em setembro. Os teste clínicos foram encortados ao máximo, ainda não é seguro se serão necessárias uma ou duas doses (duas é melhor, dá o dobro do lucro!). Os dois grupos prioritários para a vacinação são as crianças e as grávidas, justamente dois grupos em que este tipo de vacina não é testado por serem particularmente sensíveis.


    Como a produção em massa de antigénio vai ser insuficiente, a ampliação da resposta vai ser ajudada por vários adjuvantes (esqualeno e gp120) frequentemente postos em causa por reações imunitárias descontroladas das quais podem resultar doenças neurológicas, algumas das quais graves, como o sindroma de Guillain-Barré.
    Poderá ainda conter aluminio, acusado por alguns médicos, de promover o aumento dos casos de Alzheimer.
    Isto se também não contiver timerosal (mercurio), este último acusado de um possível aumento de casos de autismo.



    Por todas estas razões, a recusa da vacina para a gripe A, tem de continuar a ser um direito.


    Essa recusa não deverá ser assimilada a um crime de desobediência civil.

    Panavax, a vacina da Sanofi para o Brasil e com mercurio


    A foto acima é uma imagem da reportagem "Estudo: Mulheres grávidas hospitalizadas mais frequentemente por causa da Gripe Suína" da ABCNews, mostrando o efeito da gripe suína em mulheres grávidas, e a maior freqüência do vírus. O detalhe importante é que a imagem mostra o rótulo da vacina Panavax, aparentemente a vacina da Sanofi-Aventis, que será distribuída para o Brasil. Muito pouca informação existe sobre Panavax, mas se pesquisar no google, voce vai descobrir que o domínio pertence a Sanofi-Aventis Pasteur. Bem, nao é difícil chegar a conclusao que esta será a vacina a ser distribuída no Brasil. Outro detalhe do rótulo é que mostra que a vacina contém mercúrio em forma de timerosal.

    Mercúrio, ou timerosal, o nosso antigo mertiolate (lembra?), tem 49% de mercúrio e é altamente tóxico, por isto foi retirado do mercado. Nas vacinas o mercúrio é utilizado como preservativos, para evitar que microorganismos infectem a vacina.

    Mercúrio tem alta afinidade por gordura, incluindo tecido nervoso. Bebes em desenvolvimento sao compostos por grandes quantidades de gordura, especialmente seu sistema nervoso em desenvolvimento. Tenha em mente que estas vacinas nao serao submetidas a estudos de seguranca, entao os fetos serao as cobaias da década.




    Nao se pode afirmar, pelo rótulo, se a vacina conterá o adjuvante esqualeno, que este blog havia reportado alguns dias atrás baseados em várias fontes.



    O seguinte questionário foi retirado do site "Idade do Autismo", que defende uma maior pesquisa (independente) do efeito do timerosal em criancas, baseado em respostas oficiais, em parenteses comentários do autor:

    ---------------------------------------------------------------------
    1. Criancas americanas que recebem timerosal nas vacinas apenas até os sete meses (sem incluir as vacinas pre-natais) tem saúde diferenciada do que as criancas que recebem mais?
    Resposta publicada: Nós nao temos idéia, mas pode causar tics-nervosos e atraso para aprender a falar (Verstraeten, Pediatrics, November 2003)

    2. A descontinuacao de timerosal na Dinamarca levou a uma diminuicao do autismo neste país?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram. Timerosal deve prevenir o autismo. (Ou isso ou porque nós mudamos o critério de diagnostico em 1994, no meio do período do estudo, faca sua escolha). (Madsen, Pediatrics, September 2003)

    3. A taxa do autismo na California diminuir desde que o thimerosal foi removido das vacinas?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram novamente. (Pena que nunca durante este estudo timerosal foi realmente removido das vacinas. ops...). (Schecter, AGP, January 2008)

    4. A descontinuacao de timerosal nas vacinas da Dinamarca, Suica e EUA levaram a diminuicao de casos de autismo?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram novamente. Ainda usando dados distorcidos da Dinamarca e Californa, o que invalida o estudo. (Stehr-Green, American Journal of Preventive Medicine, 2003)

    5. Exposicao ao Timerosal apenas até os 7 meses de idade impactam em certos problemas neurologicos, além do autismo?
    Resposta publicada: Sim, mas resultados positivos e negativos foram reportados, como maior QI, mas atraso para falar e tics nervosos. (mercúrio o faz mais inteligente! Quem iria dizer! E agora que tres estudos identificaram atrasos na fala e tics, voce acha que há razao o suficiente para se livrar do mercúrio?) (Thompson, New England Journal of Medicine, 2007).

    6. A vacina Rhogam durante a gravidez tem correlacao com o autismo?
    Resposta publicada: Nao, mas este estudo foi financiado pelos produtores da Rhogam, Johnson and Johson, e um re-cálculo dos dados mostram uma taxa 71% maior de Rh Immune globulina em criancas com autismo (Miles, American Journal of Mecial Genetics, April 2007)

    Em todos os estudos mostram que Timerosal nao causa autismo, mas nenhum comparou o total de timerosal que as criancas sao expostas desde pre-natal até sua juventude com aquelas que nunca receberam nenhuma vacina com timerosal. 4 dos estudos usaram criancas americanas apenas, as mais vacinas do mundo. 3 dos estudos mesmo com sua fraquíssima metodologia associaram o timerosal com atrasos na fala e tics nervosos. 3 dos estudos mostram que quanto menos voce usa maior a taxa de autismo, e dois estudos mostram que é bom para voce, lhe da um QI mais alto e melhor capacidade motora. RIDÍCULO!!!

    É importante salientar que todos estes estudos sao patrocinados ou conduzidos por alguém que promove, produz, apoia ou lucra das patentes, e/ou defende na justica as vacinas. E lembre que os estudos acima apenas investigaram um dos ingredientes de dezenas que constam em uma vacina apenas (gripe pre-natal).
    ---------------------------------------------------------------------

    Alguns fatos sobre timerosal , retirado da Associacao Nacional de Autismo:

    1) Mercúrio faz mal para humanos. O uso de um veneno toxico como preservativo é indesejável, desnecessário e deveria ser eliminado inteiramente.
    2) Por décadas, etil-mercúrio foi utilizado extensivamente em produtos médicos desde vacinas a uso tópico, como preservativo e como agente anti-bacteriano.
    3) Produtores de vacinas e timerosal, nunca concluíram um teste adequado na seguranca do timerosal e compostos de etil-mercúrio. Evidencias recentes nao sugerem que é seguro ou efetivo quando usado como preservativo em vacinas.
    4) Mais de 1.500 estudos e papers documentados sobre a toxidade de timerosal existem por décadas.
    5) Os EUA está em meio a uma trágica epidemia de autismo. De acordo com dados do departamento da educacao houve um aumento de 644% entre criancas americanas de 1992-2001.
    6) Um número crescente de cientistas e pesquisadores acreditam que a relação entre o aumento de desordens neurológicas de autismo, deficit de atenção, hiper-atividade, e atraso na fala e na linguagem, e o aumento do uso de timerosal em vacinas são plausíveis e merecem maior escrutínio. Em 2001 o Instituto de medicina determinou que tal relacao é biologicamente plausível, mas que nao há evidencia para suportar ou rejeitar tal hipótese.
    7) Estudos recentes confirmaram que a relacao entre o uso de timerosal e autismo foi de "biologicamente plausível" para "biologicamente certo" (Boyd Haley)

    Fontes:





    Notícias relacionadas :

    abcnews
    gripe suina


    A foto acima é uma imagem da reportagem "Estudo: Mulheres grávidas hospitalizadas mais frequentemente por causa da Gripe Suína" da ABCNews, mostrando o efeito da gripe suína em mulheres grávidas, e a maior freqüência do vírus. O detalhe importante é que a imagem mostra o rótulo da vacina Panavax, aparentemente a vacina da Sanofi-Aventis, que será distribuída para o Brasil. Muito pouca informação existe sobre Panavax, mas se pesquisar no google, voce vai descobrir que o domínio pertence a Sanofi-Aventis Pasteur. Bem, nao é difícil chegar a conclusao que esta será a vacina a ser distribuída no Brasil. Outro detalhe do rótulo é que mostra que a vacina contém mercúrio em forma de timerosal.

    Mercúrio, ou timerosal, o nosso antigo mertiolate (lembra?), tem 49% de mercúrio e é altamente tóxico, por isto foi retirado do mercado. Nas vacinas o mercúrio é utilizado como preservativos, para evitar que microorganismos infectem a vacina.

    Mercúrio tem alta afinidade por gordura, incluindo tecido nervoso. Bebes em desenvolvimento sao compostos por grandes quantidades de gordura, especialmente seu sistema nervoso em desenvolvimento. Tenha em mente que estas vacinas nao serao submetidas a estudos de seguranca, entao os fetos serao as cobaias da década.




    Nao se pode afirmar, pelo rótulo, se a vacina conterá o adjuvante esqualeno, que este blog havia reportado alguns dias atrás baseados em várias fontes.



    O seguinte questionário foi retirado do site "Idade do Autismo", que defende uma maior pesquisa (independente) do efeito do timerosal em criancas, baseado em respostas oficiais, em parenteses comentários do autor:

    ---------------------------------------------------------------------
    1. Criancas americanas que recebem timerosal nas vacinas apenas até os sete meses (sem incluir as vacinas pre-natais) tem saúde diferenciada do que as criancas que recebem mais?
    Resposta publicada: Nós nao temos idéia, mas pode causar tics-nervosos e atraso para aprender a falar (Verstraeten, Pediatrics, November 2003)

    2. A descontinuacao de timerosal na Dinamarca levou a uma diminuicao do autismo neste país?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram. Timerosal deve prevenir o autismo. (Ou isso ou porque nós mudamos o critério de diagnostico em 1994, no meio do período do estudo, faca sua escolha). (Madsen, Pediatrics, September 2003)

    3. A taxa do autismo na California diminuir desde que o thimerosal foi removido das vacinas?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram novamente. (Pena que nunca durante este estudo timerosal foi realmente removido das vacinas. ops...). (Schecter, AGP, January 2008)

    4. A descontinuacao de timerosal nas vacinas da Dinamarca, Suica e EUA levaram a diminuicao de casos de autismo?
    Resposta publicada: nao, as taxar aumentaram novamente. Ainda usando dados distorcidos da Dinamarca e Californa, o que invalida o estudo. (Stehr-Green, American Journal of Preventive Medicine, 2003)

    5. Exposicao ao Timerosal apenas até os 7 meses de idade impactam em certos problemas neurologicos, além do autismo?
    Resposta publicada: Sim, mas resultados positivos e negativos foram reportados, como maior QI, mas atraso para falar e tics nervosos. (mercúrio o faz mais inteligente! Quem iria dizer! E agora que tres estudos identificaram atrasos na fala e tics, voce acha que há razao o suficiente para se livrar do mercúrio?) (Thompson, New England Journal of Medicine, 2007).

    6. A vacina Rhogam durante a gravidez tem correlacao com o autismo?
    Resposta publicada: Nao, mas este estudo foi financiado pelos produtores da Rhogam, Johnson and Johson, e um re-cálculo dos dados mostram uma taxa 71% maior de Rh Immune globulina em criancas com autismo (Miles, American Journal of Mecial Genetics, April 2007)

    Em todos os estudos mostram que Timerosal nao causa autismo, mas nenhum comparou o total de timerosal que as criancas sao expostas desde pre-natal até sua juventude com aquelas que nunca receberam nenhuma vacina com timerosal. 4 dos estudos usaram criancas americanas apenas, as mais vacinas do mundo. 3 dos estudos mesmo com sua fraquíssima metodologia associaram o timerosal com atrasos na fala e tics nervosos. 3 dos estudos mostram que quanto menos voce usa maior a taxa de autismo, e dois estudos mostram que é bom para voce, lhe da um QI mais alto e melhor capacidade motora. RIDÍCULO!!!

    É importante salientar que todos estes estudos sao patrocinados ou conduzidos por alguém que promove, produz, apoia ou lucra das patentes, e/ou defende na justica as vacinas. E lembre que os estudos acima apenas investigaram um dos ingredientes de dezenas que constam em uma vacina apenas (gripe pre-natal).
    ---------------------------------------------------------------------

    Alguns fatos sobre timerosal , retirado da Associacao Nacional de Autismo:

    1) Mercúrio faz mal para humanos. O uso de um veneno toxico como preservativo é indesejável, desnecessário e deveria ser eliminado inteiramente.
    2) Por décadas, etil-mercúrio foi utilizado extensivamente em produtos médicos desde vacinas a uso tópico, como preservativo e como agente anti-bacteriano.
    3) Produtores de vacinas e timerosal, nunca concluíram um teste adequado na seguranca do timerosal e compostos de etil-mercúrio. Evidencias recentes nao sugerem que é seguro ou efetivo quando usado como preservativo em vacinas.
    4) Mais de 1.500 estudos e papers documentados sobre a toxidade de timerosal existem por décadas.
    5) Os EUA está em meio a uma trágica epidemia de autismo. De acordo com dados do departamento da educacao houve um aumento de 644% entre criancas americanas de 1992-2001.
    6) Um número crescente de cientistas e pesquisadores acreditam que a relação entre o aumento de desordens neurológicas de autismo, deficit de atenção, hiper-atividade, e atraso na fala e na linguagem, e o aumento do uso de timerosal em vacinas são plausíveis e merecem maior escrutínio. Em 2001 o Instituto de medicina determinou que tal relacao é biologicamente plausível, mas que nao há evidencia para suportar ou rejeitar tal hipótese.
    7) Estudos recentes confirmaram que a relacao entre o uso de timerosal e autismo foi de "biologicamente plausível" para "biologicamente certo" (Boyd Haley)

    Fontes:





    Notícias relacionadas :

    abcnews
    gripe suina