sábado, 24 de outubro de 2009

Para a Gripe A, vacina contra a gripe...das aves!

Está com medo do novo surto gripal que nos anunciam? Costuma seguir os dados diários de casos e vitimas da gripe A, como quem segue o boletim meteorológico?


Não tenha medo, vacine-se. Fique sabendo que existem no mercado, devidadamente autorizadas, três vacinas recomendadas para combater a gripe...das aves!


No último mês de julho 2009, a EMEA (a Agência Europeia do Medicamento) autorizou a colocação no mercado de uma vacina, chamada puerilmente de "pré-pandémica", Pandemrix, do laboratório farmacêutico GlaxoSmithKline.

Esta é composta pelo virus inactivado H5N1 (da gripe das aves!) e adjuvantes (não especificados!).


Já tinham sido autorizadas as vacinas Daronrix também da GSK e oFocetria da Novartis, todas elas com os virus inactivos da gripe H5N1, A/Vietnam/1194/2004 NIBRG-14 .


Todos os especialistas estão de acordo para referir que o principal problema da gripe A, seria a sua possível mutação e por consequência uma maior mortalidade.


Não deixa de ser curioso as pessoas poderem ser injectadas com uma vacina à partida concebida para combater a gripe aviária.


A explicação da EMEA, é que esta vacina induz uma resposta imunitária inespecifica e que portanto poderá ser util no combate a uma pandemia que comporta númerosas incógnitas.


A Pandemrix foi testada em apenas 400 pessoas. A EMEA chama a atenção para alguns efeitos secundários e para a necessidade de grande vigilância após a vacinação. Após a vacinação !


Na realidade o que aconteceu foi que com a o medo criado com a gripe das aves, que não chegou a pandemia, os principais produtores de vacinas tinham-se preparado para uma vacinação em massa.


O grande stock existente tinha de ter alguama utilidade comercial...





Convém lembrar que a gripe das aves tem uma mortalidade superior a 60%, enquanto que a gripe A, actual, menos de 1%, muito inferior aliás à gripe sezonal.





A comercialização destas vacinas deveria ser proibidada, dado o potêncial perigo mutagénico da gripe A, sem falar dos efeitos secundários.





Mais uma vez se demonstra, que organismos em que todos nós confiamos, por serem aparentemente idónios, estão subjugados aos interesses comerciais da industria farmacêutica, pondo em risco a saúde pública.




http://www.emea.europa.eu/humandocs/PDFs/EPAR/pandemrix/H-832-fr1.pdf


http://grippeaviaire.veille.inist.fr/spip.php?breve440

Sem comentários:

Enviar um comentário