quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Gripe Suína: As vacinas são mais mortais que a própria “gripe suína”?

Blog A Nova Ordem Mundial
A medida que os governos europeus avançam seus programas de vacinação em massa contra a gripe suína, notícias vindo da Hungria e da Suécia sugerem que algumas pessoas tenham morrido logo depois de tomarem a vacina contra o H1N1.

O jornal Times of Budapest relatou que uma mulher de 64 morreu apenas dois dias após receber a vacina contra o H1N1.

Uma autópsia foi agendada para determinar se existe uma ligação entre a vacina ea morte do paciente, que sofria de doença cardíaca crônica, mas branda, de acordo com o artigo.

Até agora, apenas 4 pessoas morreram de gripe suína na Hungria.

A vacina contra o H1N1 na Hungria está sendo fornecida pela fabricante local de vacinas Omninvest. O governo encomendou seis milhões de doses que supririam cerca de 60% dos 10 milhões de habitantes da Hungria.

Suécia: Homem Morre 12 horas

Enquanto isso a agência sueca de medicamento está investigando a morte de um homem que ocorreu apenas doze horas após receber a vacina contra o vírus da gripe A (H1N1), apesar de até agora não ter sido estabelecida uma relação causa-efeito.

Num primeiro relatório publicado no seu site na Internet sobre as reações adversas da vacina Pandemrix (GSK) registadas na Suécia, a agência do medicamento refere cerca de 100 casos, dos quais seis avaliados como graves, um dos quais resultou numa morte.

O homem padecia de aterosclerose grave, o que lhe provocava sérios problemas no funcionamento dos órgãos. A vítima sofreu uma dor de peito antes de morrer.

Em portugal, a subdiretora-geral da Saúde disse ainda que "não há qualquer evidência científica sobre os possíveis efeitos negativos da vacina contra a gripe A. Mas já há alguma evidência científica sobre a segurança da vacina".

----------------------

Não há evidências científicas? Talvez para aqueles usam se utilizam da pseudo-ciência para avançar com suas agendas. Ou talvez não saibam da relação da vacina com a síndrome de Guillain-Barre (GBS), que em 1974 matou e deixou com seqüelas centenas de pessoas. Ou dos efeitos negativos do esqualeno, cujo uso na vacina contra o Anthrax comprovadamente causou a sindrome da guerra do golfo, ou ainda do perigoso uso do mercúrio como preservativo, que é associado com o autismo e vários outros problemas neurológicos.
Antes de se precipitar e ir atrás da mídia, que de forma histérica sugere que a vacina é a única solução para o que dizem ser um "cataclisma de proporcoes globais", faça sua própria pesquisa e tome uma decisão informada.

As autoridades de saúde de Portugal tentam em vão defender que a vacina não teve relação alguma com as mortes e de que é segura e eficiente, e que estas mortes foram apenas uma coincidência. Parecem estar seguindo o mesmo padrão de desinformacao que vimos desde semanas atrás: autoridades americanas afirmando que haverão mortes após a vacinação, mas que nao seriam diretamente ligadas a vacina, para tentar evitar qualquer associação óbvia no futuro. Na Inglaterra, onde semanas atrás uma garota morreu depois de receber uma vacina contra o HPV (que poderia causar o câncer de colo de útero), "exames" suspeitíssimos mostraram que a garota, que se apresentava saudável, teria um tumor gravíssimo, que teria causado a sua morte súbita.

Engraçado também como quando alguém por causa da gripe suína com um problema de saúde pré-existente, é registrado como causa da morte a gripe suína, e ponto final. Mas se alguém com um problema de saúde pré-existente morre depois de tomar a vacina então é registrado como causa o problema de saúde pré-existente e não a vacina.

Fontes:
Times of Budapest: New treatment in flu vaccine controversy

The Flu Case: FOURTH VACCINE DEATH REPORTED IN SWEDEN

Notícias relacionadas :

Sem comentários:

Enviar um comentário