sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Vacina da gripe suína: o remédio pode ser pior do que a doença


(Patética cena proporcionada graças à histeria sensacionalista promovida pela grande mídia e sua cobertura apocalíptica sobre a gripe suína)

Forcades, usando seu hábito e tendo ao fundo o mosteiro de San Benet, em Monserrat (Catalunha), reflete sobre suas dúvidas quanto à declaração de uma pandemia pela Organização Mundial de Saúde (OMS), alegando que, em lugar disso, a gripe suína é uma enfermidade com índices de mortalidade inferiores aos da gripe sazonal.

"Se a mortalidade é menor, como se pode declarar uma pandemia?," declarou Teresa Forcades, uma monja beneditina espanhola, doutora em medicina, que está liderando uma campanha contra a vacinação para a gripe suína. (Fonte: Terra)

Não precisa ser um profissional de saúde para saber que a gripe suína, gripe A, ou como queiram, não assusta. Claro que se a sua única fonte de informações for a grande mídia, alarmista por excelência, você deve estar preocupado(a) e aguardando ansiosamente pela vacina, que, aliás, nem pode garantir 100% de imunidade devido à capacidade mutagênica do vírus.

Não me preocupa muito o fato de que eu posso pegar um vírus e ficar dois ou três dias em casa, até porque eu não faço parte do grupo de risco (este sim, que deve ser preocupar com esta e outras doenças). Mas me preocupa o fato da vacina conter “traços” de thimerosal, um anti-séptico e antifúngico composto, entre outras coisas, de mercúrio. Vejamos... de 1991 para cá, aumentaram em 1500% (mil e quinhentos por cento) os casos de autismo nos EUA. Coincide com o início de amplas campanhas de vacinação. Mercúrio é algo que fica no corpo por muito tempo e, em concentrações elevadas (estamos falando em proporções microscópicas), pode causar danos ao cérebro.

O estranho é que grandes laboratórios nunca encontram evidências científicas dos malefícios do thimerosal. Mas pesquisadores independentes, sem vínculos com a indústria farmacêutica, sim. Há relatórios do FDA que dizem que o thimerosal é expelido pelo corpo mais rapidamente que o mercúrio tradicional, enquanto pesquisadores dizem que, independente disso, há um aumento muito significativo nos casos de autismo para ser apenas uma “coincidência”. Uma ligeira variação poderia ser apenas fatores momentâneos. Mas 1500% de aumento, não tem nada de insignificante. Um aumento destes tem que ter uma causa.

Sem medo de uma simples gripe, imune à alienação e histeria difundidos pela mídia, sigo sem vacinação, mesmo que de graça. Talvez, quem sabe, quando surgir uma vacina polivalente, capaz de combater todos os tipos de vírus da gripe de uma só vez, talvez aí eu me arrisque a tomar a vacina mesmo sem estar no grupo de risco. Até lá, fico no banho e tylenol e, vocês, ao menos com mais um trecho do vídeo (http://www.youtube.com/watch?v=kqOM1nTgilU) da Monja:

A organização expressa confiança na vacina e a definiu como a mais importante ferramenta de combate à pandemia. Mas no vídeo a monja beneditina volta a expressar suas dúvidas sobre os efeitos colaterais que a aplicação de duas doses de vacina poderia causar, amplificados por uma terceira dose de vacina contra a gripe sazonal.

- Com isso, a possibilidade de que as vacinas causem efeitos colaterais é triplicada. Embora isso seja teórico, na prática não se sabe o que pode acontecer, porque ninguém recebeu três doses de vacina contra a gripe - afirma.

Sem comentários:

Enviar um comentário